IBM prevê computadores com sentidos humanos

Todos nós sabemos que a tecnologia está cada vez mais próxima do ser humano – os aparelhos e produtos estão sendo fabricados para serem cada vez mais interativos, mais práticos, mais completos.

Estamos acostumados a conviver com o avanço tecnológico – que não ocorre devagar. Agora, fica a pergunta: como você imagina a tecnologia – e o mundo – daqui há 5 anos? Como você acha que seria o papel da tecnologia na sua vida em 2017? Se já somos “escravos” disso tudo, como será a vida então?

A IBM tem uma boa previsão de como serão as coisas. Aliás, eles tem feito isso desde 2006, com o lançamento do projeto Smarter Planet – 5 in 5: anualmente, pesquisadores da empresa palpitam sobre 5 inovações que se tornarão realidade dentro de 5 anos.

E sabe qual é a aposta para 2017? Segundo a IBM, os computadores irão se comportar, pensar e interagir como os seres humanos. Como se já não bastasse, as máquinas provavelmente terão seus próprios 5 sentidos: os computadores serão capazes de enxergar e entender imagens (apesar de que isso, de certa forma, já ocorre), distinguir cheiros, coisas do tipo. Parece impossível, né? A IBM discorda.

Para ser bem sincera, fico meio dividida com essa informação. Por um lado, acho maravilhoso como esse tipo de avanço poderá influenciar na maneira como nos comunicamos e nos relacionamos, sem contar o quanto nossos hábitos e rotinas irão mudar. Mas ao mesmo tempo, não consigo parar de pensar em filmes como “Eu, Robô” e na Skynet de Terminator. Acho que vamos ter que esperar pra ver – e torcer para que essas rebeliões fiquem só nos filmes rs

Assistam os vídeos para entender melhor os sentidos das máquinas (o primeiro fala sobre o projeto, os outros sobre os sentidos):

About Janaina Marin

view all posts

Formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo. Apaixonada por internet, marketing, qualquer tipo de arte - principalmente cinema - e ciências. Curiosa, extremamente curiosa :)

0 Comments

Join the Conversation →

Deixe uma resposta