Presos criam arte em tricô para diminuir a pena criminal

A criatividade e a arte podem resolver muitos problemas. A estilista mineira Raquel Guimarães, criadora da grife Doiselles, estava com muita dificuldade para encontrar mão de obra para a produção de tricô e crochê. Então, ela teve a idéia de recrutar detentos da penitenciária Arisvaldo de Campos Pires, em Juiz de Fora, para executar essa tarefa.
No seu projeto, chamado ‘Flor de Lotus’ , Raquel treinou 18 presos sob regime fechado, condenados por crimes que vão de assalto a mão  armada a assassinato, que a cada três dias tricotando eles têm um dia a menos de pena.
Agora, as produções são exportadas para o mundo, incluindo a América, França e Japão. As peças feitas à mão, que são de qualidade comprovada, também são vendidas em 70 lojas no Brasil.

About Stifler Mendes

view all posts

Blogueiro e fundador dos sites Criatives, DesignBrain e Curiozo com Z. Formado em Desenvolvimento Web e Design Gráfico, morador de São José dos Campos, apaixonado por séries e Counter Strike ♥

0 Comments

Join the Conversation →

Deixe uma resposta