Programa mostra como os estrangeiros enxergam a TV Brasileira.

Complicado quando alguém de fora do nosso país se espanta com algo que para nós parece tão ‘normal’, mas essa é a realidade.
A jornalista inglesa Daisy Donovan, do Channel 4, apresenta o The Greatest Shows on Earth (Os melhores programas do mundo), onde ela viaja pelo mundo pra saber o que passa nas emissoras de TV de cada país e como eles afetam a sociedade.
Digamos que ela conheceu bem a realidade da nossa televisão, ao descobrir que existe um concurso para eleger o bumbum mais bonito do país, inclusive ela participou de uma pegadinha com uma das concorrentes.
Daisy ficou espantada quando viu mulheres semi-nuas passando pelas mais vexatórias situações, como as brincadeiras do Pânico na Band. E também se supreendeu com os programas policiais que evidenciam a violência mostrando corpos e entrevistando bandidos, quando soube de uma produtora desses programas que não pode ter palavrão, mas que o resto pode passar no ar.
É lógico que temos coisas muito boas na TV, mas Daisy procurou saber o que dá mais audiência, e infelizmente ainda o bizarro e polêmico dominam nos controles remotos do povo. Ela também ironiza sobre a população que assiste esse conteúdo, mas recrimina atitudes parecidas como um topless na praia ou um beijo gay numa novela.

Programa mostra como os estrangeiros enxergam a TV Brasileira.

About Stifler Mendes

view all posts

Blogueiro e fundador dos sites Criatives, DesignBrain e Curiozo com Z. Formado em Desenvolvimento Web e Design Gráfico, morador de São José dos Campos, apaixonado por séries e Counter Strike ♥

0 Comments

Join the Conversation →

  1. Credo…
    a gente nem percebe o quanto de lixo é transmitido todos os dias.
    Não que eu ache a Inglaterra perfeita, sou mais o Brasil.
    Mas nossa TV é uma merda…

    Eduardo GuimarãesNo Gravatar /
  2. A televisão brasileira é um lixo.
    Tenho me espantado ao constatar que mesmo na tv por assinatura o padrão se repete, com a escassa oferta de qualidade. Séries norteamericanas irrelevantes, programas de esportes fúteis, repetindo as mesmas informações, inundação de programas religiosos. Há umas poucas exceções.

    Carlos TeixeiraNo Gravatar /

Deixe uma resposta