Mulher encontra pedido de socorro de escravo chinês dentro de um brinquedo

Veja nesse post como é incrível quando pessoas em situações desesperadoras conseguem ter idéias para tentar se salvar.
Isso aconteceu com a americana Julie Keith, que comprou em outubro de 2012 um brinquedo para o aniversário da filha. Mas dentro do produto que estava escrito “made in China”, estava escondida uma carta, que era um pedido de socorro de um funcionário que sofria abusos na fábrica.

MasanjiaLabourCamp1

Quem escreveu a carta com letra trêmula era Zhang, de 47 anos, que descreveu todo o sofrimento que passa enquanto ‘trabalha’ 15 horas por dia sem pausa, sem descanso e por um salário miserável. Tudo isso a base de espancamentos e torturas das mais perversas formas.
Ele alertou também da perseguição do Partido Comunista aos funcionários, onde muitos deles se suicidavam ou morriam por doenças.

Mulher encontra pedido de socorro de escravo chinês dentro de um brinquedo

Confira a Tradução feita pela Jaqueline Barbosa do site Hypeness
Senhor

Se você por acaso comprou esse produto, por favor faça a gentileza de encaminhar essa carta para a Organização Mundinal dos Direitos Humanos. Milhares de pessoas que estão sendo reféns do Partido Comunista Chinês vão agradecer e lembrar de você para sempre.
Esse produto foi produzido pela Unidade 8, Departamento 2, Masanjia Labor Camp, Shenyang, Liaoning, China.

Pessoas aqui tem que trabalhar 15 horas por dia, sem pausa nos fins de semana ou feriados. Se se recusarem, eles sofrem torturas, apanham, e recebem praticamente nenhum pagamento (10 yuan por mês – aproximadamente 2 dólares).

Pessoas que trabalham aqui sofrem punições ilegais, sendo condenados a trabalhar nessas condicões de 1 até 3 anos em média, sem nenhum tipo de sentença judicial. Muitos deles são totalmente inocentes e estão sendo punidos somente porque acreditam em coisas diferentes do que o CCPG, e nesses casos sofrem punições mais severas do que os outros.”)

Via: Hypeness

About Stifler Mendes

view all posts

Blogueiro e fundador dos sites Criatives, DesignBrain e Curiozo com Z. Formado em Desenvolvimento Web e Design Gráfico, morador de São José dos Campos, apaixonado por séries e Counter Strike ♥

0 Comments

Join the Conversation →

  1. Não são só produtos piratas que são fabricados com mão de obra escrava. Muitas lojas “de marca” e caras, usam mão de obra mais barata e vendem o produto do mesmo preço ou mais caro.

    RuthNo Gravatar /

Deixe uma resposta