Fotógrafa registra o dia de uma menina criada por pais viciados em drogas

Quem já passou por perto de uma cracolandia, sabe o quão triste é ver aquelas pessoas em estados finais, se drogando e se matando aos poucos com ajuda de craque, cocaina e outras drogas.

Pensando nisso, a fotógrafa Irina Popova teve a iniciativa de fotografar Lilya, uma mulher que encontrou nas ruas visivelmente embriagada, e  que levava consigo um carrinho de bebê com sua filha dentro. Após o encontro e algumas palavras trocadas, Lylya convidou a fotógrafa a conhecer seu apartamento, onde morava com sua filha e seu namorado Pasha.


As fotos ganharam uma dimensão gigante pela internet, mostrando o mundo sombrio que uma criança tem que superar no seu inicio de vida para se reerguer e levar uma vida mais justa.

 

AnotherFamily1 AnotherFamily2 AnotherFamily3 AnotherFamily4

“Lilya está voltando para casa depois de uma noite de festa, com Anfisa dormindo em um carrinho de bebê”.

 

AnotherFamily5

Anfisa parece em perigo, perto da borda da janela do apartamento. No entanto, existe uma rede de segurança que pode não ser totalmente perceptível na foto.

AnotherFamily6 AnotherFamily7 AnotherFamily8  AnotherFamily10 AnotherFamily11

Saindo de casa, o cenário é semelhante: aqui “Lilya está pedindo dinheiro a motoristas de carros no estacionamento, usando sua filhinha como pretexto”.

AnotherFamily12

Depois de uma discussão por causa de dinheiro, Lilya e Pasha se afastam, mas olham ambos para trás no último momento.

 

AnotherFamily13 AnotherFamily14

Asfina não foi retirada dos pais, mas Lilya, a mãe, não está vivendo com a família. A menina frequenta agora o jardim de infância e está sob a guarda do pai.

O livro está disponível para encomenda aqui.

todas as fotos © Irina Popova

Via: Hypeness

About Stifler Mendes

view all posts

Blogueiro e fundador dos sites Criatives, DesignBrain e Curiozo com Z. Formado em Desenvolvimento Web e Design Gráfico, morador de São José dos Campos, apaixonado por séries e Counter Strike ♥

0 Comments

Join the Conversation →

Deixe uma resposta