Esse garotinho autista levou um microfone escondido para escola. Dias depois dois professores foram demitidos.

Melissa Davis suspeitou que algo não estava certo com seu filho de 12 anos, Camden, quando ele mudou de repente e de forma drástica. Ele é autista, e por isso possui dificuldade em se comunicar, o que impossibilitava sua mãe de descobrir alguma informação que justificasse a mudança no comportamento do filho. Sem saber o que fazer para investigar mais, ela decidiu enviar o garoto para a escola em Baton Rouge, Louisiana, com um microfone escondido.

Entretanto, ela jamais imaginaria o que seria revelado assim que escutasse as gravações após seu filho retornar do colégio.

Tudo teve início quando o menino começou a fazer xixi na cama e se comportar de forma agressiva, fazendo com que Melissa desconfiasse de que o menino estaria sendo maltratado na escola, porém, como ele não conseguia verbalizar o que estava acontecendo, ela não sabia, de fato, qual o motivo que justificasse aquele comportamento.

Melissa até tentou ir na escola, mas não se esforçaram em ajuda-la, foi daí então que teve a ideia do microfone, assim ia saber exatamente o que acontecia com seu filho enquanto ele ia pra aula, e o resultado foi simplesmente assustador!

Das gravações, Melissa podia ouvir seu filho sendo ridicularizado e intimidado por dois de seus professores. “Você está apenas escrevendo uma palavra. É assim tão difícil?,” disse um deles. No mesmo clipe, o professor pode ser ouvido imitando Camden quando ele se esforça para responder. Quando Melissa ouviu as gravações, ela não podia acreditar que era verdade.

“Eu só queria chorar, gritar e fazer tudo que podia porque era tão ruim”, disse Davis. A mulher resolveu compartilhar nas redes sociais as gravações, e não demorou muito para que elas se espalhassem por toda a rede, o caso ganhou proporções maiores e canais de televisão fizeram reportagens sobre o ocorrido. Os dois professores foram demitidos e de acordo com o Canal 2 da WBRZ, a escola se desculpou profundamente, tanto para o menino, como para a família.

Após o fato, Camden mudou para uma outra escola e se sente bem melhor, mesmo tendo se abalado com tudo que passou. Melissa é grata por todo apoio que recebeu das pessoas: Obrigado Baton Rouge por tudo que você fez”, disse Davis. “As pessoas veem que essas crianças precisam ser protegidas e eu estava protegendo meu filho porque sabia que as coisas estavam dando errado.”

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Muito curioso e pouco ansioso, ou vice-versa. Apaixonado por comida, escrever, internet e séries e filmes de terror.