Síndrome rara desfigurou o rosto do garoto ao nascer. Veja como ele ficou após o tratamento!

É de se perder de vista a quantidade de doenças e anomalias que existem no mundo, muitas delas são desconhecidas para a grande e maioria. Com o avanço da tecnologia, há centenas de procedimentos que mudam a vida das pessoas afetadas por essas raras condições.

Como é o caso da criança abaixo, cuja identidade não foi revelada, que sofria da Síndrome de Crouzon, uma doença genética pouco conhecida que tem como principal característica o fechamento prematuro das suturas da base do crânio, assim como das órbitas e do complexo maxilar que lhe conferem a aparência característica.

O caso foi abordado pelo Dr. Alexander Stratoudakis, no Hellenic Craniofacial Center (HCC), localizado em Atenas, Grécia , que compartilhou o caso em seu site.

A imagem inicial da criança é impressionante. Mas é ainda mais drástica a mudança que seu rosto experimentou:

Segundo o Hellenic Craniofacial Center (HCC), primeiramente é realizado o procedimento da expansão da cavidade craniana, pois essa síndrome ocasiona uma limitação da capacidade do crânio e do cérebro, por sofrerem pressão. Na cirurgia, é realizada a fratura de diversos ossos da face, para então colocarem no paciente um dispositivo que leva o nome de “distrator osteogênico”, que são parafusos que direcionam e estimulam o crescimento ósseo.

Esta operação deve ser realizada em uma idade mais precoce devido a problemas funcionais que exigem solução imediata (apnéia obstrutiva, aumento da pressão intracraniana que causa diminuição da visão).

Esta criança sofria especificamente de uma estenose craniofacial associada à síndrome de Crouzon. E não é a só a aparência que muda, esse procedimento também faz o paciente melhorar a respiração (a grande maioria dos pacientes com a síndrome precisa de um dispositivo respiratório durante o sono) e também corrige a visão, já que a síndrome faz o indivíduo ter diplopia (dupla visão).

E foi assim que a criança ficou após a operação:

A principal causa dessa síndrome é as múltiplas mutações no gene FGFR 2, que podem ser herdadas dos pais ou então surgirem como novas mutações, e atinge 1 em cada 60 mil pessoas.

Felizmente a tecnologia ajuda na ciência da saúde, muitas dessas síndromes que antes eram consideradas incuráveis, hoje já são revertidas!

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Muito curioso e pouco ansioso, ou vice-versa. Apaixonado por comida, escrever, internet e séries e filmes de terror.