Juiz protetor dos animais faz agressores sentirem na pele os atos de crueldade que fizeram.

Nossa sociedade cada vez mais vem progredindo e isso causa um impacto direto em outras espécies, é com alívio que o sofrimento dos animais em situações abusivas e negligentes sejam tratadas e de uma vez por todas combatidas. As leis, tanto municipais como estaduais, que servem para que os agressores de animais sejam punidos, aos poucos vêm sendo instaladas, fazendo com que os animais possam ficar livres das mãos desses criminosos.

Por ano, são relatados cerca de 1900 casos de abuso de animais, o que pode chegar a uma média de 75% destes envolvendo reincidentes. Foi então que um juiz da Painesville, Ohio, decidiu que esses infratores deveriam pagar pelos seus erros através de métodos alternativos de punição.

O juiz Michael Cicconetti possui um amor incondicional por animais que começou em sua infância com seu cão e continua até hoje. Depois de anos ouvindo casos e distribuindo multas e pena de prisão, ele percebeu que estava repetidamente vendo os mesmos infratores em seu tribunal. Parecia que seria necessária uma nova abordagem dentro dos limites da lei para impedir que as pessoas continuassem com suas ações horríveis.

Agora, cada crime é julgado e sentenciado de maneira individual, para que com isso os agressores deixem de fazer mal para os animais novamente. Seu objetivo é proporcionar vergonha e desconforto aos agressores, para que possam sentir na pele aquilo que fazem para os animais.

Uma mulher que abandonou 35 gatinhos em uma área arborizada teve como punição passar uma noite inteira na floresta, sem comida, água ou qualquer tipo de entretenimento, para que assim pudesse vivenciar os perigos desconhecidos que se escondem durante a noite.

Um homem que chamou um policial de “porco” foi colocado ao lado de um curral com um cartaz que dizia “Este não é um policial”.

Uma mulher que abandonou seu cão para deixá-lo viver em situação precária, foi condenada a passar um dia no lixão local, obrigada a ficar sentada com um odor horrível por 8 horas.

Independentemente da sentença, eles precisam ser impedidos de voltar a praticar maldade com os bichinhos, infelizmente, os métodos do Juiz Cicconetti não são permitidos em reincidentes e o tempo de prisão e multas são a norma, é curioso pensar que esses abusadores poderiam ser reabilitados se mais tribunais instituírem essas punições em todo o país. Só queremos uma coisa, assim como o juiz Cicconetti: que os animais sejam respeitados!

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Muito curioso e pouco ansioso, ou vice-versa. Apaixonado por comida, escrever, internet e séries e filmes de terror.