Super pai! Ele adotou 4 crianças com deficiência e ainda foi julgado por sua opção sexual.

Quando alguém decide adotar uma criança precisa estar ciente de que enfrentará um longo processo burocrático, ainda mais se tratando de uma pessoa solteira, mas Benjamin Carpenter, um inglês de 33 anos, gay e solteiro, é conhecido no Reino Unido como alguém inspirador, isso porque resolveu adotar quatro crianças com deficiência.

O homem contou que desde muito novo sempre quis ser pai: “Eu sempre tive uma disposição de cuidado incutida em mim, a adoção sempre esteve na minha mente, pois ter filhos biológicos nunca foi uma prioridade para mim”.

Abaixo, Benjamin Carpenter, o “super pai” do Reino Unido

Essas são as quatro crianças adotadas por ele para que tivessem uma vida melhor

O primeiro deles foi Jack, adotado há 10 anos

Levou 3 anos para Ben convencer as autoridades de que ele estava levando à sério a ideia da adoção, e se tornou um dos homens homossexuais mais jovens do país a adotar uma criança

Seu primeiro filho, hoje com 10 anos de idade, tem autismo e TOC, o que faz com que a família se adapte diariamente às necessidades de Jack

Ruby, de 6 anos, tem deficiências físicas e problemas de mobilidade

Lilly, de 5 anos de idade, é a meia-irmã biológica de Ruby. Ela é surda e possui outras deficiências. Toda a família aprendeu a linguagem de sinais britânica para se comunicar com ela

Joseph, de 2 anos, é o membro mais novo da família e tem síndrome de down

“Para mim, todos os meus filhos me trazem a alegria absoluta! Eu acordo de manhã e penso: como seria minha vida sem as crianças? Eu sei que me sentiria vazio, com certeza!”

Benjamin sempre diz que enfrentou muita resistência para que pudesse adotar as crianças, mas que valeu a pena cada obstáculo superado

Benjamin foi anunciado como campeão de adoção do ano em 2015

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Muito curioso e pouco ansioso, ou vice-versa. Apaixonado por comida, escrever, internet e séries e filmes de terror.