10 coisas que você provavelmente não sabia sobre a cidade perdida de Atlântida

Quem nunca ouviu falar de Atlântida? A lendária ilha que afundou no mar em um único dia. O que você sabe sobre ela? É uma história inventada? Ou seria um lugar real?

A história de Atlântida vem do filósofo grego Platão. Especificamente de dois de seus escritos, Timeu e Crítias. Neles, Platão escreveu que o sábio grego Sólon recebeu a história de um sacerdote no Egito.

Após seu retorno, ele compartilhou a história com seu parente Dropides; que por sua vez passou para seu filho Crítias, que contou ao seu neto. Ele finalmente compartilhou com Sócrates e outros presentes. Claro, isso é mais uma lenda do que um fato histórico.

Atlântida era um império

Platão nos diz que Atlântida era realmente um império governado desta ilha. “Na ilha da Atlântida, havia um grande e maravilhoso império que governava toda a ilha e várias outras partes do continente.

Além disso, os homens de Atlântida sujeitaram a Líbia, instalando as colunas de Hércules, além do Egito e a Europa, até a Tirênia. ” A Tirênia é atualmente parte da Itália central. O que significa que um dia Atlântida se espalhou da atual Toscana até o Egito.

A história é verdadeira, segundo Platão

Platão discerne os fatos da ficção em sua história. “Há uma história… que diz que uma vez, Paethon, o filho de Hélios, tendo em jugo os cavalos de seu pai, não foi capaz de levá-los até um lugar ordenado por seu pai. Perdendo-se do caminho, acabou sendo atingido por um raio. Agora Paethon virou um mito, mas na verdade um raio é apenas um declínio dos corpos que se movem nos céus ao redor da Terra.”

Aqui Platão reconhece que alguns mitos são simbólicos por natureza. No entanto, ele diz em seu livro que Atlântida é real, não um mito.

A história tem 11.500 anos de idade

Dizia-se que Sólon era o mais sábio de todos os sábios gregos. O texto indica que a história da Atlântida foi transmitida a Sólon no Egito quando ele queria instigar um dos sacerdotes a falar sobre as histórias mais antigas de seu povo.

Solón viveu em aproximadamente 630 a.C. até aproximadamente 560 a.C. Portanto, se a história for verdadeira, a queda de Atlântida teria ocorrido por volta de 9500 a.C. Atlântida, então, dataria de cerca de 10.000 a.C. É considerado por muitos arqueólogos, o primeiro lugar onde um templo teria sido construído no mundo.

Está faltando metade da história

Sabe-se que Platão escreveu pelo menos dois livros sobre Atlântida. Hoje temos uma versão completa de Timeu, mas não uma cópia completa de Crítias. O livro de Crítias termina depois que Zeus, líder dos deuses gregos, “reune todos os deuses em sua sala mais sagrada, que, estando situada no centro do mundo, contempla todas as coisas criadas”.

Não sabemos se Platão deixou o livro incompleto de propósito ou se a versão final foi perdida há muito tempo. Mas além disso, não apenas o fim de Crítias está faltando, mas acredita-se que Platão escreveu, ou pelo menos planejou escrever, um terceiro livro sobre  Atlântida chamado Hermócrates.

O oceano foi nomeado em sua homenagem

A maioria das pessoas acredita que Atlântida recebeu o nome do Oceano Atlântico, mas o texto original afirma que foi o contrário. De acordo com a história, Poseidon, o deus grego do mar, tinha cinco pares de gêmeos com uma mulher mortal Atlante chamada Cleito.

O deus deu a cada um de seus filhos uma parte da ilha para governar. Como seu primogênito Atlas era o chefe de toda a ilha, e até o oceano ao redor, deu-lhe seu nome.

Sua localização é conhecida

Há quem acredite que a ilha de Santorini é de fato Atlântida, enquanto outros acreditam que a água de Bimini esconde o caminho para a cidade perdida. No entanto, o texto de Platão deixa claro onde a ilha já foi submersa.

O texto diz que Atlântida “deixou o Oceano Atlântico”. E ele continua: “havia uma ilha localizada em frente aos estreitos que estão ao seu lado (referindo-se aos antigos gregos), chamados de Pilares de Héracles”.

A humanidade foi e será destruída

O sacerdote egípcio disse a Sólon que nenhuma de suas histórias era “verdadeiramente antiga” comparada à dele. De acordo com o religioso, a razão para a falta de conhecimento “verdadeiramente antiga” de Sólon é que a humanidade foi destruída uma vez, e será novamente, como num ciclo.

“Houve e haverá, novamente, muitas destruições da humanidade que surgem por muitas causas; as maiores foram causadas pela ação do fogo e da água, e outras menores por inúmeras outras causas.

Pode ser que Platão quisesse nos manter longe do Oceano Atlântico

Se os gregos soubessem o que estava além do Mediterrâneo, provavelmente não queriam que mais pessoas soubessem; e é por isso que Platão escreveu que ninguém poderia navegar pelo Atlântico.

“Mas então terremotos violentos e inundações ocorreram; e em um único dia e noite de infortúnio todos os guerreiros afundaram na Terra, e a ilha de Atlântida desapareceu da mesma maneira nas profundezas do mar.” Segundo Platão, isso gerou um banco de lama absolutamente intransponível. Platão estava tentando impedir que as pessoas entrassem no Atlântico? Ele realmente acreditava que um banco de lama estava bloqueando as viagens marítimas?

As mulheres eram autorizados a servir militarmente na Atenas pré-histórica

O texto de Platão diz: “As atividades militares eram então comuns a homens como a mulheres, de acordo com o costume da época – montavam uma figura e uma imagem da deusa (Atena) em armadura completa, por seja um testemunho de que todos os animais que estão juntos, homens e mulheres, podem, se quiserem, praticar em comum a virtude que lhes pertence sem distinção de sexo”.

Os antigos povos do Mediterrâneo poderiam conhecer as Américas

É possível que Platão tenha inventado a Atlântida em prol da filosofia. No entanto, há uma parte da história que seria difícil de imaginar.

Na história, o sacerdote egípcio diz a Sólon: “A ilha era o caminho para outras ilhas e, a partir delas, você poderia passar por todo o continente oposto que cercava o verdadeiro oceano. (…) A terra circundante pode realmente ser chamada de um continente sem limites “. Não poderia significar que os antigos gregos conheciam ou tinham estado nas Américas?

Mistérios sem fim.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.