Com 30 anos, filho se recusava sair de casa até seus pais ganharem na justiça sua “expulsão”

Um caso chamou a atenção da internet nas últimas semanas: um casal americano processou o próprio filho, Michael, desempregado e com 30 anos, pois ficaram fartos dele ainda morar com os pais, e não é que eles ganharam essa?

Mark e Cristina Rodolfo se viram sem alternativa depois de darem ao filho dinheiro para ele viver sozinho, sem depender de ninguém, para continuar a escrever cartas sob notícias legais, para que assim, o homem crescesse.

“Michael, depois de uma discussão com sua mãe, decidimos que você deve sair desta casa imediatamente”, diz a primeira carta, datada de 2 de fevereiro.

A carta conclui: “Você tem 14 dias para desocupar o local. Faremos o que for necessário para aplicar essa decisão”.

Um tempo depois, ofereceram ao filho um valor de US$ 1.100 para encontrar um lugar, além de darem muitos conselhos sobre como organizar coisas que ele precisa para o trabalho, e também sobre como deixar o apartamento em ordem.

Os pais simplesmente imploraram pra ele ganhar dinheiro: “Há empregos disponíveis mesmo para aqueles com histórico de trabalho ruim como você. Consiga um – você tem que trabalhar!

Michael estava irredutível e não tinha acordo, ele queria continuar morando com os pais mais um tempo, até que um juiz ‘forçou-o’ a encarar uma vida adulta, e o rapaz não gostou disso.

É realmente injusto e ultrajante para mim“, relatou Michael, que diz ser um empresário e até chegou a ter o próprio filho, mas teve a guarda da criança tomada.

Eu realmente não quero ficar lá”, ele disse ao The Post enquanto esperava o ônibus depois de sua derrota na corte. “Estou tentando sair de lá há muito tempo. Eles pararam de me alimentar e me cortaram do plano de telefone da família”.

Quando Michael foi questionado se os pais apenas não estavam fazendo aquilo para dar o melhor a ele (a independência), o filho deu uma resposta como se fosse uma criança que acabara de receber uma bronca: “Eu não acho que tentar destruir alguém é o melhor para alguém”.

O caso ficou sério mesmo no dia 7 de maio, quando Cristina perdeu a paciência e recorreu à Suprema Corte do Condado de Onondaga, como última tentativa para expulsar o filho de casa.

O filho teimoso, prestes a completar 31 anos e vivendo os últimos oitos na casa dos pais, não saiu por livre e espontânea vontade. O dinheiro que os pais ofereceram a Michael, o rapaz admite que usou para pagar contas, ao invés de se mudar.

Cartas que os próprios pais escreviam para o filho não paravam de chegar na residência, em uma delas, eles se propuseram até a pagar o conserto total do automóvel de Michael.

Quando houve processo, as coisas só pioraram e Michael contra atacou, alegando que seus pais, obrigatoriamente, deveriam dar a ele 6 meses para sair da casa.

O juiz Donald Greenwood ordenou que o advogado dos pais, Anthony Adorante, redigisse uma ordem delineando os termos para que ele saísse, mas permitiu que Michael permanecesse na casa até que a data oficial da saída fosse marcada.

Os pedidos de Michael quase foram atendidos, mas, pelo menos, ele conseguiu ganhar mais três meses na casa dos pais.

Logo após esse ocorrido, o filho conta que viu brevemente os pais: “Eles estavam quietos. É estranho”. Quando foi perguntado sobre o que acha da atitude de Mark e Cristina, Michael afirma: “Eles são um ponto discutível para mim. No momento, estou preocupado com o que é melhor para mim”.

Em 2017, Michael processou a Best Buy em um valor de US $ 338,5 mil por demiti-lo dois anos antes por não trabalhar aos sábados. Esse caso ainda está pendente.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.