Mãe decide doar parte de seu fígado para salvar a vida de uma criança desconhecida.

Um pequeno bebê de seis meses que de forma um tanto aleatória ficou doente, urgentemente precisou de um transplante de fígado. Seus pais pediram ajuda nas redes sociais e uma mulher estava disposta a salvar a vida da criança.

O garotinho de seis meses estava com seus pais visitando a Malásia em 7 de junho, quando começou a apresentar quadro grave de diarreia.

No início, seus pais pensaram que era apenas um problema gastrointestinal. Então, eles o levaram a um médico em Cingapura e descobriram que ele estava sofrendo de insuficiência hepática. A única saída era um transplante de fígado.

O lado bom das redes sociais

Embora os pais estivessem dispostos, eles não eram bons candidatos à doação. Então o casal buscou ajuda nas redes sociais. Três pessoas responderam.

Uma mulher de 32 anos foi considerada a candidata mais adequada e os médicos do National University Hospital realizaram o transplante de fígado na última quarta-feira, 20 de junho, pela manhã.

Após uma cirurgia bem-sucedida de 12 horas, o bebê e o doador estão se recuperando favoravelmente.

O fígado do doador se regenera algumas semanas após a cirurgia e o doador volta a levar uma vida absolutamente normal.

Uma história que inspira

A mãe do menino, Kelly Law, 37, é muito grata a quem salvou a vida de seu filho.

Ela disse: “É preciso muita coragem para tomar essa decisão e nem todo mundo pode fazer isso”.

A doadora, que é mãe de três filhos, escreveu à Kelly: “Espero que este transplante inspire mais pessoas a ajudar os outros”.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.