Um imigrante ilegal salvou uma criança na França e agora é tido como herói.

Aconteceu na França há pouquíssimos dias: uma criança se pendura na sacada, o adulto que está perto parece não ser capaz de salvá-la, todos já esperavam um final trágico para essa história, até que um homem apareceu e mudou o destino daquele garoto.

O nome deste ‘herói’ é Mamoudou Gassama, que escalou as paredes de seu edifício, subiu quatro andares e conseguiu salvar a vida daquela pequena criança, mas o que torna essa história ainda mais especial é o fato de Mamoudou ser um imigrante que veio da Líbia atravessando todo o Mediterrâneo, com o sonho de ter uma vida melhor que aquela que levava em seu país.

Agora, ele é conhecido como ‘Homem-Aranha do 18’, referência ao bairro da cidade francesa onde houve o ocorrido. A multidão toda torcia para Mamoudou enquanto ele escalava de uma sacada até a outra.

Em um mundo aonde ainda é possível encontrar, infelizmente, o racismo e o xenofobia, esse homem se transformou em um herói, deixando de lado aquela visão marginalista que muitos têm de imigrantes que viajam até outros países em busca de uma vida melhor. Isso é bem frequente na França, porém, até no Brasil nos deparamos com esse tipo de preconceito.

A atitude de Mamoudou não foi reconhecida somente por ter salvado a vida de uma criança, mas também por ter quebrado todos os estereótipos e construções sociais que muitas pessoas preconceituosas ainda fazem questão de manterem consigo.

Falando mais sobre Mamoudou, o jovem tem 22 anos e nasceu em Mali, país da África Ocidental, antiga colônia da França. De acordo com o próprio rapaz, ele passou por Burkina Faso, Nigéria e Líbia, antes de conseguiu chegar em solo francês. Com informações da ‘BBC’, esse tipo de viagem é uma espécie de ‘rito’ para o grupo étnico Soninke – ao que pertence Mamoudou -, um tipo de passo para a vida adulta.

Assim que chegou em Paris, Mamoudou se instalou em um centro de recepção em Montreuil, e não estava levando uma vida fácil, encontrando diversas dificuldades. Porém, parece que agora tudo mudou e seus documentos estão atualizados e até ganhou um posto no corpo de bombeiros do distrito local.

O jovem, que somente queria ter a documentação necessária de forma legal no país, nunca iria imaginar que Emmanuel Macron, presidente da França, lhe entregaria pessoalmente esses documentos, ainda sendo muito agradecido pelo que ele vez. Isso tudo no meio à épocas em que as políticas de imigração da França começaram a endurecer.

Somente cinco pessoas receberam a residência por “talento excepcional ou serviços prestados à comunidade” em 2017, modalidade em que se enquadrou Mamoudou. De um jeito ou de outro, ele entrou pra história!

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Muito curioso e pouco ansioso, ou vice-versa. Apaixonado por comida, escrever, internet e séries e filmes de terror.