16 motivos para você parar de usar canudinhos neste ano

Segundo estimativas sombrias, até o ano de 2050 poderá haver mais plástico no oceano do que peixes. Como sociedade, precisamos nos unir para fazer algo à respeito e ajudar a impedir essa insanidade!

Esta é Greta Alvarez, jornalista venezuelana residente de Los Angeles, EUA. Greta fez duas resoluções consigo mesmo em 2018: se adaptar a um estilo de vida minimalista e ser mais consciente sobre seus próprios hábitos de consumo.

Minha bebida favorita vs meu novo inimigo

Uma das metas de Greta, conforme ela conta em seu perfil do Instagram, é parar de usar canudos plásticos descartáveis, parte de sua segunda resolução. Ela foi incentivada por uma amiga, Alexandra Cadena, roteirista e ambientalista que tomou para si a missão de reduzir o consumo de plástico.

Conforme a lista abaixo, ela aponta todos os motivos que a levaram a querer parar de usar canudinhos plásticos. Greta espera que seus motivos também lhe convençam a fazer o mesmo!

1. Parecem inofensivos, mas alguns canudinhos plásticos são feitos com materiais tóxicos ou potencialmente cancerígenos.

2. Apesar de vários canudos serem feitos com materiais recicláveis, ainda assim, eles podem ser difíceis de se reciclar, de fato.

Segundo a ONG Strawless Ocean (“oceano sem canudos”), os canudinhos são leves demais para os separadores de lixo reciclável, passando imunes às telas de triagem, acabando assim nos aterros sanitários, ou mesmo no mar.

3. O tempo de decomposição do plástico pode chegar a 2.000 anos.

A maioria do plástico produzido mundo afora não é biodegradável.

4. Aquele drink que você levou 20 minutos para se deliciar vai permanecer no meio ambiente por centenas de gerações.

Todos os canudinhos que você usar em vida permanecerão no meio ambiente por mais alguns séculos (ou milênios).

5. Por diversos motivos, os canudinhos frequentemente acabam parando no oceano.

São soprados pelo vento para fora das lixeiras, são jogados na praia e levados pelo mar, escorrem pelos bueiros e por aí vai.

6. Um estudo da WEForum prevê que até 2050 haverá mais plástico nos oceanos do que peixes (em termos de massa).

7. É comum que animais aquáticos confundam pedaços de plástico com comida e sufoque com eles.

8. Na prática, o plástico é indestrutível.

O que acontece é que ele se deteriora até ficar microscópico. Até quando é queimado, ele cria emissões nocivas de dioxina, que fazem mal par a saúde das pessoas e para o meio ambiente.

9. Literalmente milhares de pessoas são feridas por canudos e vão parar no pronto-socorro.

Feridas abertas na boca e nos olhos, abrasões, engolimento etc.

10. Imagine só, em média uma pessoa usará 38 mil canudos em 60 anos.

11. Isto é, 500 milhões de canudos são usados todos os dias.

Detalhe: isso SÓ nos Estados Unidos.

Deve ser por isso que 100 mil animais marinhos e 1 milhão de aves morram por ano devido ao consumo indigesto de plástico.

12. A boa notícia é que mudar isso é simples: basta pedir para não vir um canudo na hora que comprar uma bebida.

“Um guaraná SEM CANUDO por favor.”

Comecemos pelos pequenos hábitos.

13. Divulgue! Espalhe a notícia!

14. A decisão de parar de usar canudos plásticos definitivamente não vai afetar a qualidade de vida das pessoas.

Salva estritas exceções.

15. Que tal começar a usar canudinhos reutilizáveis?

Tem canudinho de aço inox, bambu, silicone, papel e até vidro tratado. Com uma pequena procura, você certamente encontrará um substituto.

16. Para garantir nosso futuro, em suma, é necessário fazer pequenos sacrifícios: este é o momento para deixar de usar canudinhos.

O que acha de compartilhar essa ideia?

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.