Cliente homofóbica foi comprar brigadeiro e ganhou lição de vida pelo Whats

Mesmo ainda estando presente na sociedade, diariamente a homofobia vem sendo combatida, muitos debates sobre a importância da diversidade e manifestações em prol dessa causa vem deixando a vida dos preconceituosos mais complicada.

Hoje, com as redes sociais, é preciso pensar muito bem antes de dizer qualquer coisa, ainda mais quando essa ‘opinião’ vem carregada de preconceito. Foi exatamente isso que aconteceu com a Brigadelândia, uma loja de doces no Rio de Janeiro, que recebeu uma chuva de elogios por conta da postura de uma de suas proprietárias.

Tudo isso porque uma cliente resolveu destilar seu preconceito, e a marca usou isso para dar mais uma rasteira na homofobia.

“A Brigadelândia é diversidade, amor, respeito, empatia, positividade. Somos todos em um só, somos voz, somos cor, somos DOCE!”, se pronunciou a empresa em postagem no Facebook.

O que parecia começar sendo um elogio de uma cliente, na verdade, era algo bem diferente disso: “A ‘moça’ que me atendeu foi muito simpática também. Uma de cabelo curto. Mas fui com uma amiga e confesso que fiquei constrangida. Minha amiga é de igreja e não ficou confortável em ser atendida por ela”, escreveu.

O que essa cliente não imaginava que a ‘moça’ (como ela se referiu) é, na verdade, uma das proprietárias da empresa e recebeu uma resposta pra deixar qualquer preconceituoso, como ela, envergonhado.

“Quando a Natalí, a MOÇA (sem aspas) simpática que te atendeu, ela não é minha funcionária. É sócia igualitária da Brigadelândia, além de ser minha noiva e um ser humano maravilhoso”, ressaltou uma das donas dos estabelecimento.

Como não esperava aquela resposta e não tinha o que fazer, a cliente começou com ofensas: “Esperar o que de duas molecas que não sabem nada da vida?”

Quando o caso foi exposto, as pessoas chamaram a atenção pelo fato dos ensinamentos religiosos, onde o respeito ao próximo é um dos primordiais.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.