Correndo risco? Esse é o motivo pelo qual as pessoas vivem tão perto dos vulcões ativos.

Em maio de 2018, as pessoas que viviam à sombra do vulcão havaiano Kilauea fizeram uma evacuação apressada antes do vulcão subitamente entrar em erupção. Na verdade, o ele já estava em erupção há muito tempo, mais precisamente desde 1983, só que a um ritmo mais lento.

Isso levanta uma questão: por que as pessoas escolheriam morar perto de uma bomba-relógio natural? Bem, como se vê, os vulcões têm muito a oferecer aos moradores locais – desde que eles estejam prontos para encaras as consequências.

Cidade de Antígua, Guatemala, perto do vulcão Agua

Indo com o fluxo

Seria difícil convencer alguém de São Paulo ou Nova York a instalar uma propriedade diretamente no epicentro de um vulcão ativo. Mas os vulcões, por outro lado, têm suas vantagens. Na verdade, existem muitas boas razões – agrícolas, econômicas e sociais para viver ao lado de um vulcão. Tudo começa com o solo.

Se você se lembra de sua aula de ciências da quinta série, a rocha derretida que flui durante uma erupção vulcânica é conhecida como magma quando é subterrânea e lava quando atinge a superfície. Algo que vem com o magma e flui para o solo, alguns minerais e nutrientes valiosos podem tornar o solo extra fértil. O resultado é que, em solo vulcânico, os tomates crescem mais gordos, os feijões crescem mais saudáveis e as flores ficam mais brilhantes (e mais abundantes).

Há também o papel cultural que os vulcões desempenham em tantas civilizações. No México, o Popocatépetl ativo e o Iztaccihuatl inerte estão no centro de uma lenda secular, e os astecas certamente jamais abandonariam o lugar mais associado a seus heróis culturais. Enquanto isso, na Islândia, a crueldade do vulcão Hekla tornou-se um ícone nacional de orgulho. Alguns cristãos na ilha acreditavam que era literalmente uma porta de entrada para o Inferno, enquanto outros contavam a história de um mágico perverso que criava as ‘bombas’ de lava do vulcão. Parece uma característica intrínseca de uma cidade natal.

Maníacos Modernos por Magma

Isso explica por que as pessoas vivem perto de vulcões desde tempos imemoriais. Mas como a tecnologia avançou, os benefícios dos vulcões só aumentaram. Na Islândia e na Nova Zelândia, por exemplo, as usinas de energia geotérmica têm um papel fundamental na manutenção e produção de energia desses países. Isso não seria possível sem os vulcões que criaram as ilhas em primeiro lugar. Além disso, as vistas incomparáveis ​​criadas por redes vulcânicas não são apenas agradáveis ​​para se viver perto – Elas também são uma grande atração turística. Esse tipo de coisa não pode ser ignorado.

Seja qual for o debate, é claro que os vulcões têm muito a oferecer às pessoas que vivem em suas sombras. Nomeie um vulcão ativo: Fuji, Vesúvio, Mt. St. Helens, ou mesmo o infame Eyjafjallajökull da Islândia – cada um deles tem uma população de tamanho considerável em suas bases, e alguns deles têm megalópoles plenamente desenvolvidas. Viver perto de um vulcão é muito parecido com jogos de azar, mas neste caso, você vai querer sair antes que as coisas fiquem muito quentes.

Claro, você não precisa colocar sua vida e seu sustento em risco para detectar uma erupção vulcânica. Você pode apenas fazer um em sua própria casa. Este experimento clássico é uma ótima maneira de deixar as crianças animadas com a ciência. Confira abaixo.

Quanto tempo dura uma erupção vulcânica?

Compartilhe com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.