Cuidado! Cientistas comprovam que as aranhas podem voar utilizando campos elétricos.

Uma informação que os cientistas já sabiam e você não, pode deixar todo mundo de cabelo em pé: as aranhas podem voar! Quando chove, por exemplo, ou então quando simplesmente têm vontade, as aranhas usam o vento e a sua seda para migrar entre os lugares.

Essa prática recebe o nome de ‘evento de balonismo’, que já era muito conhecido, porém, recentemente foi feita uma descoberta que fez com que mudassem a compreensão sobre ele: campos elétricos são responsáveis por fornecer sustentação para as aranhas enquanto elas estão no ar.

“Quando pensamos em organismos aerotransportados, as aranhas geralmente não vêm à mente”, explicaram os pesquisadores do estudo, Erica Morley e Daniel Robert, da Universidade de Bristol, no Reino Unido. “No entanto, esses artrópodes sem asas já foram encontrados a 4 quilômetros de altura no céu, se dispersando centenas de quilômetros”.

Um circuito elétrico entre a Terra e a ionosfera chama-se Gradiente de Potencial Elétrico Atmosférico (GPA), atingindo a parte mais alta da atmosfera do planeta, sendo ionizada pela radiação solar. Quando há uma tempestade, ela age como uma espécie de bateria gigante para esse gradiente atmosférico, fazendo com que os campos elétricos continuem na atmosfera.

Charles Dawin foi o primeiro responsável a apontar que o balonismo entre as aranhas acontecia através deste circuito, nos anos 1800, enquanto ele observava muitas aranhas pousarem sobre o mar do canal de Beagle, em um dia sem chuva. Eventualmente, foi descartada sem ser testada.

O experimento
Em 2013 o assunto voltou a ser pauta após um grupo diferente de pesquisadores apresentar uma teoria: os campos elétricos podem sim fazer parte do balonismo desses aracnídeos. Foi então que Morley e Robert demonstraram interesse sobre o assunto e resolveram fazer um teste para ver se a teoria poderia ou não ser comprovada.

Isolaram aranhas do tipo Erigone em um ambiente sem qualquer tipo de estímulo e acionaram um campo elétrico artificial para ver como elas se comportariam.

As aranhas faziam a posição de balonismo enquanto o campo elétrico estava ligado, porém, quando era desligado, elas apenas deslizavam. Quase ninguém sabe, mas as aranhas possuem tricobótrios, que são pelos sensoriais que respondem à esses campos elétricos, fazendo assim com que acreditem que eles são os responsáveis por permitirem que as aranhas detectem o GPA.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.