Floresta fantasma? Após maré abaixar muito, uma área desconhecida apareceu no Oregon mostrando seus mistérios.

No último fim de semana, uma maré extraordinariamente baixa redescobriu uma floresta antiga cheia de vida marinha e envolta em mistérios. Conheça a Floresta Neskowin Ghost, um dos fenômenos naturais mais notáveis ​​do Oregon (EUA).

A floresta fantasma Neskowin foi criada por um forte terremoto que abalou a zona de subducção Cascadia em janeiro de 1700, enterrando todas as árvores na areia e, eventualmente, no oceano por mais de três séculos. No entanto, a floresta foi desenterrada em 1997, quando as marés varreram a areia durante uma tempestade de inverno.

Cerca de 200 árvores ainda descansam em seu terreno original na costa de Neskowin Beach, no estado do Oregon (EUA), criando uma paisagem surreal, que atrai milhares de turistas e fotógrafos de todo o mundo.

A melhor época para ver a floresta fantasma Neskowin, perto dos rochedos Proposal Rock e do parque ecológico local Neskowin Beach é durante a maré baixa, mas especialmente durante o inverno, quando elas são ainda mais baixas do que o normal (outubro-dezembro).

Quando a maré desce, você pode ver cerca de 100 árvores ‘mumificadas’ emergindo da praia, resistindo às ondas contíguas produzidas no oceano. Elas são cobertas de cracas, mexilhões e outras espécies marinhas.

O centro de alguns dos cepos particularmente grandes foi erodido, criando pequenas poças nas quais a vida marinha fica presa. Às vezes você pode ver pequenos peixes ou caranguejos nessas piscinas, esperando a maré retornar e devolvê-los ao oceano.

Em suma, a floresta fantasma é uma lembrança do passado: os restos de uma destruição antiga e catastrófica ocorrida há três séculos que tempos em tempos ressurge para nos lembrar de uma característica fundamental da natureza – sua imprevisibilidade.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.