Você sabia que dar gorjeta no Japão é um gesto profundo de falta de educação? Entenda.

Isso mesmo, o Japão é um país um tanto diferente de outras nações latino-americanas e europeias. Algo muito peculiar à respeito tem a ver com as populares gorjetas.

Deixar gorjetas em restaurantes, hotéis ou qualquer serviço que tenha sido prestado é considerado uma ofensa, um sinal de má educação, haja visto que para eles é como um insulto, pois parece que quem dá a gorjeta quer parecer superior.

De tal maneira que no Japão não é obrigatório, tampouco se espera que os clientes deixem uma gorjeta. É mais provável que se você deixar algumas moedas na bandeja ou na mesa, elas acreditarão que foram esquecidas.

Os japoneses não esperam por gorjetas e nem as recebem. Quando o consumidor pede a conta, eles depositarão a fatura em uma bandeja ou cesta, onde o dinheiro terá que ser deixado. Os japoneses evitam qualquer contato físico e não aceitam o dinheiro em suas mãos. Há uma razão pela qual eles abaixam a cabeça.

Por que no Japão, o povo japonês possui o hábito de curvar a cabeça?

Quando nos despedimos ou encontramos pessoas ou amigos conhecidos, usamos a saudação, seja o hábito de apertar as mãos, seja o ato de abraçar. A saudação é uma expressão de cortesia, amizade.

No Japão, a saudação consiste em um leve aceno ou uma leve reverência. É um gesto de humildade e respeito perante a outra pessoa. Mesmo por respeito, eles não costumam olhar para o interlocutor e isso é acentuado quando há relevante diferenças sociais entre as duas partes.

Eles geralmente não apertam as mãos, exceto ocasionalmente com os ocidentais, quando tem ciência desse nosso hábito, porque o contato físico é descortês e anti-higiênico ao mesmo tempo.

Por outro lado, na América e na Europa, temos o hábito de apertar as mãos e manter o olhar fixo com o interlocutor como sinal de interesse em suas palavras e manter a cabeça erguida durante uma conversa como símbolo de respeito pelo outro.

Ao saudarem-se, um japonês e um ocidental, e dependendo da situação, nossa posição pode até ser arrogante, porque nunca nos inclinamos. Da mesma forma, em qualquer negócio no Japão, eles raramente olharão você nos olhos por respeito e reverência, o que no Ocidente nós interpretaríamos como um sinal de desrespeito pelo cliente.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.