Garota de 14 anos acorda com hematomas misteriosos – 24 horas depois ela é levada para o hospital

Ter uma alimentação balanceada, praticar exercícios e dormir adequadamente são alguns dos fatores que podem nos garantir uma vida mais saudável, e se alguma coisa ‘sair do lugar’, nosso corpo dá um sinal de alerta mostrando que alguma coisa de errado está acontecendo.

Você é o maior responsável por conhecer o seu corpo melhor do que ninguém, sabe o que é bom e ruim e reage à coisas diferentes. Por isso, procurar um médico é essencial, ou então, sofrerá as consequências.

Foi exatamente isso que aconteceu com Ashton Powell, da Austrália, que era uma estudante comum e cheia de vida.

Porém, quando adoeceu, todos os médicos pensaram que tratava-se apenas de uma gripe forte, entretanto, quando os sintomas começaram a piorar, a própria menina começou a desconfiar de que sofria de algum problema oncológico.

Foi no diário australiano Townsville Bulletin que Ashton compartilhou sua emocionante história, do momento certo em que sua vida virou de pernas pro ar, faltando apenas oito dias para seu aniversário de 14 anos.

Dylan, seu irmão, acusava-a de fingir estar doente somente para não ir a escola, mas outros sintomas começaram a aparecer. “Alguns dias depois, comecei a ter hematomas nas pernas. Por um segundo, um pensamento terrível passou pela minha cabeça. Eu olhei para a mãe e disse: ‘Eu tenho problema oncológico?’ Eu podia ver o olhar preocupado espalhado em seu rosto”.

De volta ao hospital, Ashton foi submetida a um exame de sangue após fazer o pedido, e uma semana após fazer 14 anos, recebeu uma notícia que mudaria toda a sua vida.

“Quando estávamos na sala de emergência esperando, um médico chegou e explicou algumas coisas que eu nem consigo lembrar e foi quando nos disse que eu tinha leucemia. Depois disso, mamãe começou a chorar, papai estava em choque e eu fiquei entorpecida e sem palavras”, disse Ashton.

O próximo ano da adolescente foi muito perturbador, dia e noite dentro de um hospital fazendo tratamento e vendo a morte de perto, até que, dois anos e meio depois, ela finalmente se curou e, mesmo tendo passado por tudo que passou, é grata pelas pessoas que permaneceram do seu lado.

“Por tudo isso, eu chutei para longe os problemas oncológicos e não teria sido capaz de fazer isso se não fosse pela minha mãe, meu irmão e também os amigos do meu irmão, Mitch, Beau e Charlie. Esses três garotos e meu irmão me ajudavam a rir de novo. Eles podem não saber disso, mas me ajudaram a gostar de estar viva”, escreveu ela.

Atenção, fácil sangramento ou contusões são alguns dos sintomas de leucemia, além de fadiga e fraqueza. Mesmo muito nova, foi capaz de identificar o próprio problema e hoje está curada e com o sonho vivo de se tornar fotógrafa.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.