Homem perseguido por um esquilo-bebê é ‘resgatado’ pela polícia na Alemanha

Na verdade, quem precisava de resgate era o pequeno esquilo.

Os serviços de emergência alemãs receberam um pedido de ajuda: um homem estava sendo perseguido por um esquilo-bebê. Acredite, ele estava desesperado e não sabia o que fazer. A polícia chegou e foi isso que encontrou:

A polícia alemã foi em resposta ao chamado daquele homem. O que parecia ser uma emergência para o rapaz se tornou motivo de piada e chacota entre os membros da polícia, que interveio com parcimônia.

A perseguição terminou quando o esquilo, depois de ficar completamente cansado, adormeceu.

O pequeno esquilo estava realmente perseguindo o homem? “Muitas vezes acontece que os esquilos que perderam suas mães buscam um substituto e se concentram em uma pessoa”, disse Christina Krenz, porta-voz da polícia, segundo o The Guardian.

“Os animais podem ser muito persistentes, não só correndo atrás de alguém, mas acabam ficando completamente obcecados pelo indivíduo que tenta fugir. Pode ser assustador. O homem não sabia o que fazer e então chamou a polícia. Na verdade, ele simplesmente se sentiu ameaçado”, acrescentou.

O esquilo foi batizado de “Karl-Friedrich” pela polícia e foi levado para um centro de resgate de animais.

Um caso semelhante ocorreu em Londres, onde uma mulher chamou a polícia depois de ouvir ruídos altos em casa e pensou que era um ladrão, mas, adivinhe só, era um esquilo.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao amplo público brasileiro. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para o Sociologia Líquida, Explicando, Segredos do Mundo, Área de Mulher, Criatives, Razões para Acreditar e Feedty. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.