Mergulhadores encontram cerveja de 220 anos naufragada em alto-mar

A levedura de mais de dois séculos atrás foi usada para desenvolver a cerveja mais antiga do mundo.

As garrafas de cerveja antigas foram encontradas no navio-cruzeiro Sydney Cove, perto da Tasmânia, Austrália. Elas datam do século XVIII e foram perdidas num naufrágio durante uma tempestade em 1797. As garrafas ainda estavam seladas; as correntes frias do Estreito de Bass ajudaram a manter a levedura em bom estado por mais de dois séculos.

Na década de 1990, os mergulhadores trouxeram as garrafas de cerveja descobertas para o continente australiano e, desde então, elas foram armazenadas no Museu e Galeria de Arte Rainha Victoria, na cidade de Launceston.

Há três anos, David Thurrowgood, curador do museu e ex-químico, começou o processo de extração do fermento da cerveja. A cerveja foi batizada de “The Wreck – Preservation Ale” e será colocada à venda no final deste mês.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao amplo público brasileiro. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para o Sociologia Líquida, Explicando, Segredos do Mundo, Área de Mulher, Criatives, Razões para Acreditar e Feedty. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.