Você sabia que a sensação de ardor que você tem ao comer uma pimenta é uma reação mental e não física? Entenda.

Acredite, é um fato. As pimentas contêm uma substância química conhecida como capsaicina. Essa substância engana seu cérebro para acreditar que sua boca está queimando ou experimentando quantidades excessivas de calor.

A capsaicina liga-se aos receptores de dor nos nossos nervos denominados TRPV1. Normalmente, ela reage ao calor enviando sinais de alerta ao cérebro. Como a capsaicina faz com que o TRPV1 envie esses mesmos sinais, você reage como se houvesse algo quente em sua boca. Mas essa sensação de queimação é mental, não física.

Então seu corpo tenta se refrescar, você começa a suar e as lágrimas escorrem – esta é a maneira em que seu corpo elimina a “ameaça”.

Portanto morder uma pimenta picante tem o mesmo efeito no cérebro que tocar a língua num fogão quente. No entanto, a capsaicina não prejudica o corpo da mesma forma que um fogão quente, pelo menos não em pequenas quantidades, apenas engana o seu cérebro fazendo-o acreditar que algo terrível (e quente) está acontecendo.

Isso é chamado de “dor falsa” porque, mesmo que você sinta, isso não lhe causa danos físicos.

Apesar de tudo, por que as pessoas gostam de comida picante?

Em resposta à dor, o cérebro libera endorfinas e dopamina. Essas substâncias químicas combinadas criam uma euforia semelhante à da adrenalina.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.