8 padrões de beleza terríveis difíceis de imaginar que eram usados ​​no passado

Em diferentes eras, em diferentes reinos, sempre tiveram suas próprias tendências de moda e padrões de beleza. Às vezes as mulheres tinham que sacrificar sua saúde, aparência e até mesmo vida para atender a esses padrões.

Além disso, diferentes coisas terríveis e estranhas costumavam ser realmente normais para as garotas que seguiam a moda do passado. Queremos contar sobre as coisas mais perigosas que nossas ancestrais costumavam fazer para acompanhar a moda.

Gravidez

Na idade média, o culto de Maria fez a gravidez, junto com seios flácidos, popular. Para estar na moda, uma mulher tinha que estar grávida ou usar uma barriga falsa especial. No entanto, dar à luz várias vezes ou usar uma falsa barriga afetava a coluna e era muito desgastante para as mulheres.

Atadura dos seios

Os padrões de beleza da idade média alegavam que as mulheres tinham que ter seios pequenos devido à influência do cristianismo. Os corpos das mulheres tinham que ser não-sexuais: quadris finos, seios achatados, mãos e pés pequenos e lábios finos. Para alcançar esses resultados, as meninas costumavam atar seus seios desde a infância, tanto que suas glândulas mamárias pararam de se desenvolver.

Deformação do crânio

Aqui está outro ritual de beleza estranho dos tempos antigos. Uma cabeça alongada parecida com um ovo era considerada bonita. Arqueólogos encontraram esses crânios em todos os lugares: da América do Sul ao Oriente Médio. Aparentemente, as pessoas antigas costumavam transformar a forma de seus crânios desde a infância: as cabeças das crianças ficavam firmemente atadas com bandagens ou tábuas de madeira. Essas técnicas tinham um efeito realmente terrível no cérebro e as crianças muitas vezes morriam com essa prática.

Dentes decorados

Cerca de 2.000 anos atrás, antigos maias costumavam decorar seus dentes com ouro e pedras preciosas. Dentes eram perfurados com pequenos orifícios para que pedaços de jade ou ouro pudessem ser inseridos. No Egito Antigo, havia uma tecnologia muito similar. Esses acessórios simbolizavam a riqueza e o alto status de uma pessoa.

Lixamento de dentes

Cada país tem seus próprios padrões de beleza. Como na Indonésia, as mulheres costumavam afiar os dentes para que parecessem dentes de tubarão. E, inversamente, elas tinham seus dentes caninos lixados. Dizem que você pode até encontrar mulheres assim hoje. O processo de lixamento é bastante doloroso e perigoso, pois diferentes bactérias podem entrar facilmente no corpo através do esmalte danificado.

Vestidos de flanela

Durante a era vitoriana, vestidos de flanela, camisas e pijamas eram extremamente populares. Mas, infelizmente, nem todo mundo podia pagar por eles. O tecido caro foi substituído por um barato que era muito inflamável. Uma pessoa usando pijama feito de tecido parada perto de ou segurando uma vela podia se ferir ou até mesmo morrer.

Solitárias para se livrar do excesso de peso

As mulheres não precisavam passar um tempo na academia e seguir dietas rigorosas, só precisavam tomar pílulas com ovos de tênia, e elas realmente faziam isso e perdiam peso. Mais tarde, elas percebiam vários problemas de saúde: náusea, anemia, enfraquecimento do sistema imunológico, fadiga e dores de cabeça.

Blush de cinábrio

O cinábrio é um mineral associado a recente atividade vulcânica. Refere-se à forma comum de sulfeto de mercúrio escarlate brilhante e era usado para produzir blush e pó. Foi usado até mesmo no Japão Antigo, China Antiga, e mais tarde serviu como uma tintura de cabelo.

Como outros compostos de mercúrio, o cinábrio é extremamente tóxico e apenas a inalação de seus vapores pode causar intoxicação grave.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.