Fotógrafo usa drone para mostrar a desigualdade em como as pessoas vivem em todo o mundo

O cineasta e documentarista Johnny Miller é um entusiasta estudioso de grandes dilemas sociológicos, como as questões urbanas, culturais e sociais das nações – questões que ele costuma abordar em seus trabalhos. No projeto “Cenas Desiguais”, o cineasta contrastou a enorme disparidade social e econômica entre ricos e pobres em países do mundo todo com o uso de drones e suas ferramentas de filmagens aéreas.

Miller afirma que o objetivo do projeto e do seu trabalho como um todo é retratar fielmente (e imparcialmente) a global questão da desigualdade, cada vez mais dramática em certas partes do globo, chamando atenção para ela com o uso da arte da fotografia. Confira abaixo algumas dos mais impressionantes contrastes entre as fotos a partir de uma visão panorâmica.

Joanesburgo, África do Sul

A série começou quando Miller se mudou para a Cidade do Cabo, na África do Sul, dos EUA, em 2012, para estudar antropologia. Alguns anos depois, ele expandiu o projeto, tirando centenas de fotos de drones para mostrar o a desigualdade e o contraste entre bairros pobres e ricos no México, Índia, Tanzânia, Quênia, etc.

Cidade do Cabo, África do Sul

Durante o apartheid, várias estradas, zonas tampão e outras barreiras foram construídas em diferentes cidades da África do Sul para separar pessoas por raça. Embora o apartheid tenha terminado em 1994, muitas dessas barreiras e distinções entre assentamentos pobres e ricos ainda são evidentes nessa parte do mundo. Em 2016, Miller capturou o legado urbano e os efeitos sociais do apartheid de uma nova perspectiva.

Mumbai, Índia

Mumbai, também conhecida como Bombaim, é a capital do estado indiano de Maharashtra. É a cidade mais populosa da Índia, com uma população de cerca de 22 milhões. Mumbai é uma cidade de contradições onde existe extrema pobreza ao lado de extrema riqueza.

A favela de Dharavi é uma das favelas mais famosas do mundo, quase inteiramente feita de concreto cinza. De acordo com os dados mais recentes, estima-se que a porcentagem de pessoas vivendo em favelas seja de 55% da população de Mumbai.

Cidade do México, México

A capital do México é a cidade mais populosa da América do Norte. A cidade luta com muitas questões sociais, econômicas e ambientais. Na última foto capturada do drone, você pode ver uma escola particular em um bairro rico que possui tênis, basquete e uma piscina bem conservada, enquanto na porta ao lado há apenas um campo de futebol disforme.

Dar es Salaam, Tanzânia

Dar es Salaam é considerada a cidade que mais cresce na África, projetada para atingir uma população de 6,2 milhões até 2025. As fotos tiradas de cima mostram claramente como a riqueza é justaposta com vastas áreas de baixa renda.

Nairóbi, Quênia

A linha pronunciada que divide ricos e pobres é uma característica normal de Nairóbi. A maior favela é chamada Kibera, onde as casas são feitas de uma mistura de lama, gravetos e estanho. A primeira foto ilustra como um trem de passageiros atravessa a favela duas vezes por dia, a menos de um metro de distância das casas das pessoas. Ao lado, as pessoas jogam golfe no Royal Nairóbi.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.