NASA captura um tipo raro de nuvem composta por cristais de gelo e detritos de meteoritos!

Através de uma câmera instalada em um balão de sonda, a NASA conseguiu observar as nuvens noctilucentes, brilhantes e destacadas nuvens elétricas que se formam em altas altitudes nos pólos durante o verão.

Como essas nuvens são formadas?

Também conhecidas como nuvens mesosféricas polares, as nuvens noctilucentes são as mais altas da Terra: elas formam a cerca de 80 quilômetros da superfície da Terra, em uma camada da atmosfera chamada mesosfera.

Elas consistem principalmente de pequenos fragmentos de meteoritos queimados e cristais de gelo que, refletindo a luz do Sol, fazem as nuvens brilharem com um azul impressionante.

A equipe de cientistas lançou o balão no território da Suécia, e durante cinco dias, o balão percorreu as regiões polares a 80km de altitude até pousar no Canadá. Naquela época, a imagem e os instrumentos LIDAR (nome da sonda) capturaram nada menos que 6 milhões de imagens que ocupam 120 terabytes de dados!

A informação ajudará os cientistas a entender melhor tanto a turbulência na alta atmosfera de nosso planeta quanto a natureza da turbulência em fluidos em outras partes do universo. Isso também pode ajudar a tornar as previsões do tempo mais precisas.

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.