Vendedores compram celular para jovem que olha carros no Rio

O jovem Marcos Vinícius, carioca morador da Cidade de Deus, só queria um celular – podia ser o mais simples, não teria problema. Como olheiro, precisaria ficar alerta com centenas de carros na praia, ao longo de vários meses, para ter gorjetas suficientes para comprar um aparelho à vista, já que por não ter renda fixa, não conseguiria bancar um carnê mensal.

Tocados por sua constante perserverança, os funcionários de uma loja do Ponto Frio do Barra Shopping, Rio de Janeiro, decidiram fazer uma vaquinha online e completaram o dinheiro que Marcos acumulou olhando carros, de modo a poder comprar seu tão sonhado celular.

O garoto foi à loja várias vezes com o dinheiro que estava a juntar, lentamente, na segunda-feira. Em todas as ocasiões, perguntava ao vendedor Thiago se o dinheiro era suficiente para dar entrada no smartphone, porém a quantia não chegava nem perto.

Marcos tinha completado recentemente 23 anos e queria muito um celular; jamais terminou os estudos porque precisava trabalhar para ajudar nas contas em casa. Saiu da escola ainda no primeiro ano do Ensino Médio, começando a trabalhar como empacotador em um supermercado. No entanto, foi despedido quando seu período de experiência acabou.

Os funcionários da loja ficaram muito sensibilizados com a luta de Marcos em comprar um celular com dinheiro honesto. O primeiro a saber a história de Marcos foi o vendedor Thiago, que espalhou a história pela loja.

A ideia de ajudar o jovem foi então ganhando força. Com a vaquinha criada, os vendedores começaram a juntar fundos para a compra do smartphone. Alguns deram 10, 15, 20 reais. “Sempre tem aquele ‘se eu pudesse, ajudava’. Procuramos um celular que fosse barato e que era possível dar um desconto”, conta Carlos, funcionário da loja.

Marcos retornou à loja com pouco mais de 93 reais – o celular desejado custava 599. A vaquinha, felizmente cobriu o valor que faltava. “Eles me ajudaram em tudo. Estou bastante feliz. Meus familiares também gostaram muito. Minha mãe está orgulhosa de mim”, diz Marcos.

A partir de seu perfil pessoal no Facebook, Carlos relatou a história, emocionando milhares de pessoas com um vídeo que atingira 880 mil visualizações, 23 mil compartilhamentos e 8,5 mil curtidas! Nos comentários, as pessoas parabenizaram a iniciativa dos vendedores. O mais legal é que gesto de bondade rendeu frutos. Marcos foi procurado por uma professora de dança que lhe ofereceu uma bolsa de estudos em artes e dança, e ainda disse que vai ajudá-lo a concluir o Ensino Médio.

Saiba mais assistindo o vídeo:

Compartilhe o post com seus amigos!

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.