11 Famosos que usaram toda sua genialidade numa situação incômoda

Encurralados por uma situação desagradável, muitos de nós nos sentimos perdidos e não sabemos como agir ou o que responder. O tempo passa, nós reconstruímos o acontecido em nossa mente e, claro, encontramos a solução de acordo com as circunstâncias.

Mas o que fazer se você é uma pessoa famosa e qualquer demora pode custar-lhe a sua reputação ou mesmo a sua carreira profissional? No final deste post, você encontrará uma história à beira do abismo sobre uma celebridade que, graças à sua compostura e engenhosidade, saiu magistralmente de uma situação no mínimo embaraçosa.

Separamos para você 11 histórias divertidas da vida de pessoas famosas cujo lema é: “Em qualquer situação confusa, acenda a luz da sua genialidade!”.

O café da manhã de Guy de Maupassant

Guy de Maupassant sempre disse que a Torre Eiffel estragava a vista de Paris. O autor chegou a assinar petições em várias ocasiões solicitando a demolição daquela estrutura de ferro. Certa vez, um jornalista parisiense encontrou De Maupassant diretamente no restaurante da torre, onde comia. Ele perguntou com um sorriso malicioso: “Por que você está aqui? Mudou de ideia sobre a torre?”

Ao que o escritor respondeu: “Este é o único lugar onde não posso ver essa construção feia”.

Um homem celestial

Em julho de 1961, Yuri Gagarin chegou à Inglaterra, onde teve uma reunião com a rainha Elizabeth II. A monarca ficou simplesmente fascinada pelo jovem cosmonauta. Depois do jantar, ela queria tirar uma foto com ele. No entanto, de acordo com o protocolo de segurança interna, a rainha foi proibida de ser fotografada com pessoas comuns, ela só poderia fazê-lo com as da mesma posição social ou com a nobreza.

“Ele é uma pessoa normal e nós temos regras rígidas com isso”, lhe advertiram. Ao que a rainha respondeu: “Tendo voado para o espaço, Gagarin se tornou um homem celestial. Os padrões terrestres não podem se aplicar a ele”.

Corram, Beatles, corram

Em novembro de 1963, os Beatles fizeram um show no teatro Birmingham Hippodrome. A sala estava completamente lotada. Muitos fãs compareceram a este evento para ver o lendário grupo, tanto que a polícia mal podia fazer frente à multidão exaltada.

Depois do show, a situação piorou: uma massa raivosa de fãs isolou um ônibus de turismo e se concentrou na porta, esperando pelos músicos. Para os Beatles, deixar as instalações do teatro tornou-se perigoso demais. Então, para se esconder das pessoas, os músicos engenhosos recorreram ao truque de se disfarçar. Eles colocaram os capacetes da polícia e conseguiram sair despercebidos no local. Inclusive até brincaram com a situação tirando uma foto com os policiais.

A etiqueta é uma coisa pessoal

Napoleão convidou o Papa Pio VII para sua coroação na catedral de Notre Dame. Quando o santo padre chegou à celebração, o anfitrião era obrigado a beijar sua mão em público, como sinal de respeito e reverência, mas o futuro imperador considerou uma humilhação. Especialmente, depois de ter realizado inúmeras tentativas de enfraquecer a influência da Igreja em seu império.

Quando Pio VII participou da celebração, Napoleão o recebeu em sua carruagem. O futuro imperador convidou o papa para entrar e, uma vez lá, com as cortinas fechadas, ele beijou sua mão.

Liane de Pougy vs. Caroline Otero

A bailarina Liane de Pougy e sua principal rival, Carolina Otero, foram convidadas para um jantar de gala no mesmo restaurante. A primeira não gostava da outra por ter rapidamente alcançado grande popularidade e grande riqueza. A cidade de Paris seguiu dia a dia a luta implícita entre as duas por um longo tempo.

De Pougy tramou um plano astuto para derrotar sua rival: decidiu transformar a principal fraqueza de Carolina (joias e roupas de luxo) contra ela mesma. Assim, Liane vestiu um vestido simples e sem adornos, mas levou consigo uma doméstica, a quem vestiu exatamente como Otero. Quando Liane entrou na sala acompanhada por sua empregada, as risadas se espalharam pelo corredor, só que a piada não foi nada engraçada para Carolina.

A gorjeta generosa de Einstein

Albert Einstein estava numa sala do Imperial Hotel, em Tóquio, quando um mensageiro bateu à sua porta, trazendo sua correspondência. O cientista queria agradecer ao homem pelo seu trabalho, mas não encontrou trocados no bolso, por isso arrancou duas folhas de seu caderno e em cada uma delas escreveu uma nota em alemão. Depois, ele as entregou ao mensageiro, acrescentando o seguinte: “Pegue esses escritos. No futuro, eles se tornarão muito mais valiosos do que as gorjetas habituais”.

O que ele escreveu nessas anotações? Segredos simples sobre felicidade. A primeira dizia: “Uma vida tranquila e modesta traz mais alegria do que uma busca de sucesso ligada ao descontentamento constante”. Na segunda, destacou-se a seguinte sentença: “Onde há vontade, há um caminho”. Algumas Décadas depois, ambos foram leiloados pelo sobrinho do mensageiro e vendidos por 1,5 milhão de dólares.

Assim Michelangelo retocou o nariz de “David”

Em 1502, um oficial de Florença, Piero Soderini, encomendou a escultura de David a Michelangelo. Durante uma visita à oficina do grande escultor, o homem não gostou da aparência do rosto da estátua, então ordenou que seu nariz fosse mais estreito e mais curto. Michelangelo não considerou necessário fazer essa correção, já que entendia claramente que isso respondia apenas a um capricho de Soderini.

Quando o cliente voltou para dar o sinal verde à escultura, Michelangelo subiu, levando consigo um raspador e um punhado de pó de mármore. Ele fingiu trabalhar diligentemente, mas nem sequer tocou na estátua, apenas jogou a poeira no chão, fingindo estar imerso no processo criativo. Quando o escultor mostrou a Soderini o resultado, ele exclamou: “Agora está bem melhor!”

Quanto custa o ar hoje?

Alexander von Humboldt explorou a natureza dos gases em conjunto com outro cientista, Joseph-Louis Gay-Lussac, em Paris. Para os experimentos, ambos pediram tubos de ensaio da Alemanha. No processo, eles descobriram que precisavam pagar impostos especiais para receber esses instrumentos e que não tinham dinheiro suficiente para pagar por isso. Mas tiveram a engenhosidade de sair da situação e elaborar um plano que lhes permitisse evitar gastos desnecessários.

Os cientistas pediram para selar os tubos e colocar uma etiqueta com a seguinte declaração: “Cuidado! Ar alemão”. Para dar maior precisão, eles anexaram uma nota explicativa indicando o local onde os cientistas tomaram o ar. Quando o pacote chegou à fronteira, os oficiais franceses não puderam fazer nada porque não havia imposto sobre o ar. Então os cientistas obtiveram o material necessário e, além disso, economizaram uma boa soma de dinheiro.

Não se esqueceu de suas mãos?

Alexander Ostuzhev lembrou como o grande ator italiano Tommaso Salvini evitou brilhantemente passar por uma situação pública vergonhosa. Foi numa produção teatral em que o ator desempenhou o papel de Otelo. Durante sua performance, ele notou com horror que havia esquecido de pintar as mãos de preto. Os espectadores também perceberam isso.

Então, foi necessário inventar algo urgentemente. Durante o intervalo, Salvini pintou as mãos com a cor desejada e calçou longas luvas brancas. Quando o ator subiu ao palco, ele tirou as luvas e jogou-as no chão. Tudo parecia fazer parte do roteiro. Bravo, Salvini!

Winston Churchill vs. Bernard Shaw

Ninguém sabe ainda se essa história realmente aconteceu assim ou se é parte de outra lenda urbana sobre a vida do incomparável Winston Churchill. Em todo caso, esse é um ótimo exemplo de uma resposta engenhosa.

Em 1949, o dramaturgo Bernard Shaw convidou Churchill para a estreia de sua peça “Pigmaleão”.

Shaw disse: “Tenho o prazer e a honra de convidar o digno primeiro-ministro para a primeira apresentação da minha peça Pigmaleão. Venha e traga um amigo — se tiver”. Ao que Churchill respondeu: “Agradeço ao ilustre escritor pelo honroso convite. Infelizmente não poderei comparecer à primeira apresentação. Irei à segunda — se houver.”

Manual de instruções para Marilyn Monroe

Um dia, Marilyn Monroe telefonou para a então primeira-dama Jacqueline Kennedy, na Casa Branca, e expressou sua intenção de se tornar a primeira-dama dos Estados Unidos assim que fosse possível. Jacqueline suportou toda a sua raiva e soube responder com elegância à arrogante Marilyn: “Bom, então pegue uma caneta e escreva”.

Jacqueline enumerou uma lista impressionante de compromissos importantes para a próxima semana e depois perguntou a Monroe:

J. K.: “Você fala espanhol e francês?”.

M. M.: “Não”.

J. K.: “Conhece a pintura espanhola do Renascimento?”.

M. M: “Também não”.

J. K.: “Se quiser ser a primeira-dama, aprenda idiomas e história o mais rápido possível”.

M. M. (confusa): “Para quê?”.

J.K.: “Esta pergunta faça diretamente ao senhor Kennedy”.

O silêncio reinou do outro lado da linha e Jacqueline desligou o telefone.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: The Richest

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.