Jovem brasileira de apenas 18 anos ganha Prêmio Jovem Cientista após criar plástico usando o maracujá

Juliana Davoglio Estradioto é uma jovem estudante brasileira de 18 anos que antes mesmo de entrar na faculdade já desenvolveu algo surpreendente: ela criou um plástico inovador a partir de sobras de suco de maracujá, o que pode ser uma alternativa ao derivado do petróleo.

Foi um ano inteiro de pesquisas antes do produto ser desenvolvido, e essa criação lhe rendeu o 29º Prêmio Jovem Cientista. O material é a alternativa sustentável de sacos plásticos, isopor e até mesmo pode ser usado no cultivo de plantas.

Juliana ainda está terminando o ensino médio, porém, é a representante do Brasil em muitos eventos científicos ao redor do mundo, como ano que vem, onde já tem presença confirmada em Estocolmo e Nova Iorque.

Mesmo não tendo o incentivo à ciência e pesquisa que o governo deveria disponibilizar para nós, são pessoas como Juliana que nos dão a esperança de um futuro mais ‘limpo’. Além de diminuir o uso de plástico sintético, a ideia usa o maracujá, que não falta no Brasil.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.