Novo presidente do México pede fim do próprio foro privilegiado e reduzirá seu salário em 60%

Andrés Manoel López Obrador assumiu a presidência do México no último dia 1º de dezembro, pelo partido MORENA (Movimento De Regeneração Nacional) e avisou na cerimônia de posse que encaminhou ao Senado Mexicano um projeto de lei para acabar com a imunidade presidencial, mais conhecida como ‘foro privilegiado’.

“Hoje envio ao Senado o primeiro projeto para reformar o artigo 108 da Constituição e suspender o foro privilegiado do presidente da República”, disse López Obrador, que governará o país pelos próximos 6 anos.

“Vamos acabar com a impunidade estabelecida na Constituição. O presidente vai poder ser julgado como qualquer outro cidadão, por qualquer outro delito”, finalizou. Desde 1917, os presidentes só podem ser julgados se ‘traírem a pátria’ e lamentou que muitos ficaram livres de julgamentos, inclusive, de corrupção.

Como a maioria da bancada é de sua coligação, provavelmente o projeto de lei será acatado “para acabar com todos os foros e privilégios estatais, a começar pelo foro privilegiado dos políticos”. Além disso, está incluso no projeto a medida de fechar o palácio presidencial Los Pinos, para economizar dinheiro, o presidente irá morar em sua própria residência.

Outras medidas tomadas pelo novo presidente é que ele vendeu o avião presidencial e cortou o próprio salário em 60%.

Ele venceu as eleições com 53% (no México não há segundo turno) e a maior promessa é diminuir a criminalidade e drogas, que vem assolando o país nos últimos anos, também promete colocar um ponto final na corrupção, afirmando que o México passará por sua ‘quarta revolução’.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.