10 animais absurdamente grandes que viveram depois da extinção dos dinossauros

Na escola, aprendemos que os dinossauros foram animais gigantescos que viveram na Terra há milhões e milhões de anos e que acabaram extintos por um evento cataclísmico, presumidamente, a queda de um enorme meteoro.

Entretanto, o que veio depois é muitas vezes ignorados. Os animais depois dos dinossauros não eram nada parecidos com o que conhecemos conhecemos hoje. Muitos deles ainda guardavam características semelhantes aos antepassados, inclusive tamanho e voracidade. Os 10 animais a seguir em nada deixam a desejar aos dinossauros.

1. Argentavis

A ave argentina é uma das maiores aves voadoras de que já se ouviu falar, com sua envergadura de 7 metros e pesando cerca de 72 Kg, tendo sido capaz de carregar até mesmo pequenos cavalos primitivos. Para efeito de comparação, a ave de maior envergadura na atualidade é o albatroz errante, com 3,65 metros de comprimento de asa a asa.

2. Basilossauro

Embora pareça, este espécime não se tratava de um dinossauro, mas de uma espécie primitiva de baleia que viveu 34 milhões de anos atrás. Medindo entre 12 e 20 metros de comprimento, este animal gigantesco teria sido o terror dos mares em todo o mundo. É o maior animal do período conhecido como eoceno tardio.

3. Purussauro

Purussaurus é um dos maiores crocodilianos que já viveu. Estabelecido na América do Sul, ao lado do pássaro gigante Argentavis, este jacaré monstruoso, com 13 m de comprimento, aterrorizou o continente apenas 8 milhões de anos atrás.

4. Indricotherium

Esse animal é um gênero extinto de rinoceronte sem chifres. É o maior mamífero terrestre que já existiu, com cerca de 5 metros de altura e pesando por volta de 20 toneladas. Ele viveu 23 milhões de anos atrás. Seus restos foram encontrados em toda a Eurásia.

5. Deodon

O deodon viveu na América do Norte até 19 milhões de anos atrás. Apenas o seu crânio já mensurava mais de 1 m de comprimento. Estima-se que ele possuía 1,80m de altura e que possuía comportamento devastador, devorando qualquer coisa que encontrasse, ganhando o apelido de “porco exterminador”.

6. Megalania (Varanus priscus)

Megalania é um lagarto monitor gigante extinto, sendo também parente das iguanas atuais. Fazia parte da megafauna que habitava o sul da Austrália, e parece ter desaparecido há cerca de 40 000 anos juntamente com várias outras espécies de megafauna australiana.

7. Titanoboa

Vivendo até, aproximadamente, 58 milhões de anos atrás, essa gigantesca cobra tinha comprimento que passava dos 12 metros, chegando a ser mais comprida que um Tiranossauro Rex – e tendo o mesmo apetite, diga-se de passagem. Foram encontrados fósseis de 28 indivíduos desta espécie nas minas de carvão de Cerrejón, Colômbia no início de 2009, mas sabe-se que era uma espécie da América do Sul.

8. Kelenken

Apesar de não possuírem asas grandes o suficiente para os deixarem voar, os kelenken eram deuses da ferocidade e velocidade. Essas aves viveram na América do Sul, espalhando o terror bem como seus antepassados dinossauros. Possuíam um crânio de mais de 1 metro de comprimento e um bico curvo, em forma de gancho, que utilizavam para golpear e submeter suas vítimas.

9. Carcharodon Megalodon

Os tubarões, em geral, já estão na Terra há mais de 400 milhões de anos e nenhum evento extintivo foi capaz de livrar o planeta deles. O megalodon foi um dos maiores predadores que já passou pelo nosso planeta, medindo mais de 18m e ficando conhecido como o predador de baleias.

10. Livyatan Melvillei

Nomeado em homenagem à criatura bíblica que fora destruída por Deus, essa gigantesca baleia, que podia medir mais de 18 metros, era devoradora de outras baleias e cada um dos seus dentes media cerca de 36 centímetros. Viveu entre 12 e 13 milhões de anos atrás.

Leia tambémCão arrisca a própria vida e pula em tanque d’água para salvar gatinho que se afogava

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: Kickass Facts

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao amplo público brasileiro. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para o Sociologia Líquida, Explicando, Segredos do Mundo, Área de Mulher, Criatives, Razões para Acreditar e Feedty. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.