18 adultos nem um pouco orgulhosos com suas antigas foto de criança

Todos nós temos pelo menos uma foto da época de patinho feio, que é guardada pela nossa mãe mas que morremos de medo que ela mostre para alguém.

Se você tem uma foto desse tipo em casa, depois que ver as da lista abaixo, com certeza perderá a vergonha. É difícil alguém ganhar desses jovens no quesito mico. Quer apostar?

1 – Aquele tipo de corte esquisito do segundo grau

2 – “Eu aos 12 anos, em 2009. Isto não era uma fantasia”

3 – Ela gostava tanto de sua boneca, que se vestiu igual a ela

4 – “Os meninos eram muito intimidados pela minha maturidade na 8ª série”

5 – Aquele tipo de foto que você sempre esconde das visitas

6 – Aquela fase “estilosa” que todo mundo tem

7 – “Eu ganhando o prêmio ‘Little Miss Piggy’ (Pequena Miss Porquinha) em um torneio de vôlei de lama em 1998. Depois disso, fui atingida por uma mangueira de incêndio”

8 – Nem todas as fotos de Natal são muito normais

9 – “Minha namorada se fantasiou de Elton John para o Halloween quando tinha 8 anos”

10 – “Foi quando minha fobia de palhaço começou”

11 – Ela foi a única aluna da 1ª série a ser confundida com a secretária da escola

12 – “1994, 1ª série, eu tinha 7 anos. Meu padrasto disse que eu queria que meu cabelo fosse cortado assim”

13 – “Na 7ª série, eu não tinha um par para o baile, então recortei uma foto de Brendan Fraser, colei-a em um graveto e levei comigo”

14 – 10 anos com cara de 40

15 – Confesse que você ficou com inveja do cabelo dela

16 – Inspirada na dança

17 – “Eu ficava sempre com vergonha de sorrir para as fotos, então eu fazia caras estranhas, como essas”

18 – “Fui uma menina má no ensino médio”

Leia também24 pessoas que mesmo depois de adultas não perderam o espírito de criança

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: BrightSide

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao amplo público brasileiro. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para o Sociologia Líquida, Explicando, Segredos do Mundo, Área de Mulher, Criatives, Razões para Acreditar e Feedty. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.