Bebê com síndrome de down é rejeitada por vinte famílias, até que um homem solteiro teve uma atitude de amor

Luca Trapanese é um italiano de 41 anos que sempre quis ser pai, então, resolveu adotar, até que seu caminho se cruzou com o da pequena Alba, que com apenas 1 ano de idade já havia sido rejeitada por 20 famílias.

Luca é gay, e desde pequeno buscou apoio em causas sociais, participando de programas que cuidavam de crianças com doenças ou alguma síndrome grave.

Ele conhecia Alba desde quando a garotinha tinha um mês de vida, a criança foi abandonada no hospital pela mãe logo quando nasceu por ser portadora de síndrome de Down.

Por crescer envolvido nessas causas, o homem tinha em mente que quando fosse adotar, optaria por uma criança com necessidades especiais: “Uma criança com deficiência não é uma oportunidade da série B, mas uma escolha consciente em relação à minha vocação e minhas habilidades”, disse o italiano.

Agora, sendo pai de Alba, o rapaz cuida da garotinha com a ajuda de Luísa, a governanta, sua mãe, e uma outra senhora que tem um filho com deficiência.

A história de Luca está inspirando muitas outras famílias e abrindo a mente das pessoas sobre a adoção de crianças deficientes, ainda mais depois de aparecer em diversos programas de TV.

“Minha página no Facebook e meu perfil atingiram mais de 12.000 pessoas. Eu recebo 500 mensagens por dia. É, portanto, uma reação inesperada. Mas isso nos faz refletir sobre o desejo de mudança por parte de muitos e muitos”, disse o papai ao portal GNews.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.