6 animais criados artificialmente que mais parecem verdadeiros monstros

Modulada por Charles Darwin ainda no século XIX, a seleção natural foi reimaginada pela comunidade científica, que dominou a habilidade da reprodução seletiva, dando origem à chamada seleção artificial.

Trata-se de uma maneira dos seres humanos selecionarem manualmente os genes de suas preferências, dando origem à características específicas de determinadas espécies de animais e plantas.

No entanto, um problema que ainda não foi solucionado envolvendo a seleção artificial são os problemas de saúde e más formações congênitas que essas subespécies estão submetidas, devido às mutações.

Confira abaixo seis animais “mutantes” que mostram uma perspectiva problemática, mas fascinante de como a seleção artificial funciona.

1 – Rhodesian ridgeback

Rhodesian ridgeback, também chamado leão-da-rodésia, é uma raça canina originária da antiga Rodésia, no Zimbabwe, e foi criada através de cruzamentos seletivos entre cães vindos da Europa. O rhodesian foi especificamente criado para caçar leões africanos.

2 – Peixe “Olho-de-Bolha”

Este peixe foi criado especificamente para ornamentação, levando a uma incrível variedade de formas e tamanhos estranhos. Mas, o mais estranho nele são seus grandes olhos em forma de bolha. Além disso ele também tem algumas más formações, como os olhos virados para cima, uma espinha curvada severamente e nenhuma nadadeira dorsal.

3 – Cabra de Damasco

Olhando à primeira vista, você deve pensar: “que bicho estranho!”. Ironicamente, esta raça de cabra rotineiramente ganha prêmios de “Cabra Mais Bonita do Mundo” em competições do Oriente Médio. Estas cabras foram criadas para ter focinhos e mandíbulas inferiores extremamente curtos. Não está claro exatamente o que provoca esta mutação extrema.

4 – Pombo de Budapeste

O “Budapest Short-Faced Tumbler” é um pombo que foi criado após algumas décadas de intensa seleção artificial. Essa seleção resultou num pássaro com bico muito curto, olhos esbugalhados e um crânio pequeno. Outra característica desse pombo é que ele apresenta um comportamento de “queda”, que faz com que ele se incline para trás durante o voo.

Esse comportamento parece estar ligado a problemas de serotonina, levando a convulsões, controladas com anticonvulsivantes e antidepressivos pelos cientistas. Essa ave se tornou procurada por quem gostar de criar espécies raras em casa.

5 – Canário Gibber Italicus

Esse tipo de canário foi criado seletivamente por muitos anos. O resultado foi um pássaro de características indefinidas, aparência estranha, mas com um belo timbre para cantar. Atualmente, os criadores podem controlar grande parte de suas características, como a formação do esqueleto, o número de penas e textura delas, além do estilo de canto do pássaro. Mas também há a parte ruim dessa seleção… No caso desses canários, eles podem sofrer dolorosos processos de penas encravadas e exibir alta suscetibilidade a infecções.

6 – Galinha sem penas

Trata-se de um animal bem esquisito. Ao contrário do que você pode pensar, não é um frango prestes a ser colocado no forno. Essa galinha é simplesmente assim durante toda a sua vida. Essa espécie carrega uma única mutação recessiva que provoca uma falta de quase todas as penas do corpo, devido a uma falha de padronização da pele durante o processo embrionário.

Leia tambémOs gatos brancos de olhos azuis são surdos e você nem imaginava o motivo.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: Gizmodo

About Gabriel Pietro

view all posts

Gabriel Pietro têm 19 anos, é Web Designer e Criador de Conteúdo do Acervo Ciência, escrevendo diariamente para o site. Já bancou uma de técnico de informática, e ainda banca de astrônomo amador, sua maior paixão. Atualmente gradua-se no curso de Gestão da Informação, na Universidade Federal de Uberlândia, que não sabe se é de exatas ou de humanas. Assim como ele. Também é aficionado por cinema, comics, política, economia, tretas e música indie. Bata tudo isso no liquidificador e tente entender sua cabeça.