Casal resolve viver como se estivessem no século XIX e abre mão de celular, eletricidade e outras tecnologias

Nos dias de hoje, é praticamente impossível viver longe de todas as tecnologias que o mundo oferece, quer dizer, menos para Sarah e Gabriel, que não quiseram aderir todas essas invenções e a 10 anos vivem como se estivessem no século XIX.

Eles exploram diariamente o passado e mergulharam de cabeça naquele século, onde a humanidade começa a apresentar os primeiros avanços em relação ao progresso.

O casal sempre foi encantado pela Era Vitoriana, e resolveram aderir esse estilo para o dia dia, principalmente depois de Gabriel presentear Sarah com um lindo espartilho exatamente igual aos que as mulheres daquela época usavam.

Um ano depois, o casal comprou uma casa antiga, construída em Washington, EUA, no ano de 1888, onde começaram a aderir de vez esse estilo de vida.

Quando se mudaram pra casa, já havia uma geladeira, entretanto, o casal substituiu por uma caixa de gelo, ao invés de eletricidade, usam lâmpadas, assim como aquelas inventadas por Thomas Edison, que são acendidas com óleo durante a noite. No frio, usam aquecedores a gás ou querosene.

Sarah e Gabriel não possuem celular, ela tem carteira de motorista, mas só anda com um modelo de bicicleta de três rodas, de 1880, enquanto Gabriel tem três bicicletas retrôs.

Eles fazem tudo manualmente, não possuem microondas, lavadoras, fogão a gás, etc, vivem exatamente como naquela época, e os presentes também são redesenhando aquele período tão marcante para a humanidade. Até mesmo os óculos de Gabriel são autênticos, fabricados no século XIX.

Já Sarah, usa um pente de 130 anos e tem diversos acessórios daquele período que não existem mais. O fogão é à lenha, além da cozinha ter um triturador de carne mecânico e um morteiro. Toda a alimentação também é baseada naquela época, Sarah possui um livro de culinário do século XIX.

A cama antiga onde o casal dorme não possuía colchão, então, a própria mulher fez um utilizando penas. Eles passam o tempo livre caminhando, lendo e fazendo coisas longe das tecnologias atuais. Gabriel trabalha em uma loja de bicicletas, e Sarah é escritora. O casal passa horas e horas lendo sobre a época que resolveram aderir como estilo de vida!

Todas as manhãs ela dá corda no relógio mecânico da sala de estar e usa uma caneta velha para escrever, onde a própria mulher enche-a com tinta. Sarah afirma que viver na Era Vitoriana traz mais veracidade para suas obras, pois entende exatamente como as mulheres agiam naquele período.

Claro, o mundo moderno possui suas regras, Sarah, por exemplo, precisa escrever em um computador todas as suas obras para que as editoras aceitem, e mantém sua conta no Facebook ativa, onde compartilha seus livros e fala sobre curiosidades da Era Vitoriana.

O casal ministra palestras em escolas, entretanto, são criticados por pessoas que afirmam que eles só retratam o lado bom de um período que não foi nada bonito para a humanidade, como a escravidão e a pouca importância que a mulher tinha na sociedade.

Sarah e Gabriel garantem: “Nosso objetivo não é recriar o passado em detalhes; sabemos que isso é impossível. Não somos atores e não pretendemos ser outras pessoas. Tentamos ser nós mesmos e fazer aquilo que amamos. A maneira em que vivemos é uma verdadeira liberdade de escolha”.

About Rafael d'Avila

view all posts

Publicitário. 22 anos. Morador de São José dos Campos. Sempre curioso. Apaixonado por dinossauros, TV e filmes e séries de terror.